Cerveja: 17 casos de síndrome nefroneural são confirmados em Minas Gerais

Exames laboratoriais realizados pela Polícia Civil de Minas Gerais identificaram a presença da substância dietilenoglicol em amostras de ao menos dois lotes da cerveja Belorizontina, da Backer. A alteração nas bebidas causou a morte de duas pessoa e a internação de outras dezessete, em Minas Gerais, nos últimos dias.

Segundo a Secretaria de Saúde de Minas Gerais, 13 dos 17 casos suspeitos de intoxicação por uma substância utilizada em sistemas de refrigeração devido a suas propriedades anticongelantes, o dietilenoglicol, ainda continuam sob investigação. A suspeita foi confirmada em quatro casos. Um deles resultou na morte de um paciente, na noite do último dia 7, em Juiz de Fora (MG).

A cervejaria Backer afirma que não utiliza dietilenoglicol em sua fábrica. Em nota divulgada nesta segunda-feira (13), a Backer promete prestar a ajuda necessária aos pacientes e suas famílias.

Anterior

Principais corredores de ônibus de Natal estão sendo recapeados

Próximo

São os algoritmos isso tudo?

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas