Ex-vereador Adão Eridan é condenado pelo MPF

Foto: Aldair Dantas

Adão Eridan de Andrade é condenado pelo Ministério Público Federal (MPF) por ter cometido improbidade administrativa.

De acordo com o MPF, o ex-parlamentar fez uso eleitoreiro da Fundação Maria Neuzelides de Alencar Andrade, que firmou um contrato com a Prefeitura em 2010 e recebeu mais de R$ 111 mil em recursos de programas custeados por verbas federais, para promover atividades e cursos junto à população.

Além disso, segundo o MPF, o político (que exerceu cinco mandatos de vereador na capital potiguar) fazia crer aos possíveis eleitores que ele próprio era o financiador dos cursos, ofendendo os princípios da moralidade administrativa, impessoalidade, honestidade, legalidade e lealdade às instituições.

A sentença, da qual ainda cabem recursos, prevê a suspensão dos direitos políticos por três anos, a contar do trânsito em julgado; pagamento de multa de R$ 5 mil; e proibição de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais pelo prazo de três anos.

Anterior

Governo Federal repassa R$ 1,5 bilhão para infraestrutura potiguar

Próximo

Quiosques e ambulantes são notificados por descumprimento ao Plano de Ordenamento

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas