‘Quebrando o silêncio’: Ligue 180 recebe denúncias 24 horas

Por Gabriela Cavalcante e Ruth Andrade

Tatiane Spitzner, 29 anos, caiu do quarto andar de um prédio em Guarapuava, no Paraná, em 22 de julho do ano passado. O caso ganhou grande repercussão nacional após imagens de câmera de segurança mostrarem o namorado, Luis Felipe Manvailer, perseguindo e agredindo Tatiane. O namorado foi preso suspeito de feminicídio.

As cenas de violência explícita geraram uma discussão sobre o que poderia ter sido feito para salvar Tatiane. A Polícia Civil só foi acionada quando a mulher tinha caído do prédio. A história da jovem advogada é apenas uma dentre os 1.173 casos de feminicídio registrados no Brasil em 2018, segundo dados do Monitor da Violência.

Para que casos como esse não continuem a se repetir, o serviço da Central de Atendimento à Mulher (Ligue 180) disponibiliza uma rede de atendimento 24 horas, pela qual podem ser feitas denúncias ou pedir informações sobre violência contra a mulher. Além de registrar a denúncia, o Ligue 180 também as encaminha para órgãos competentes e realiza o monitoramento.

A denúncia pode ser feita por qualquer pessoa, no Brasil e no exterior, e podem ser anônimas. É necessário informar a vítima, o suspeito, o local onde ocorreu a violência, o endereço da vítima e do suspeito e uma descrição do ocorrido. Os dados pessoais do denunciante não são divulgados.

Anterior

Nísia Floresta é reconhecida como heroína da pátria

Próximo

Bolsonaro ofende presidente da OAB e pede que STF arquive caso

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias Relacionadas